História do CEMT

Home História do CEMT

História do CEMT

A ideia da criação do Colégio de especialidade de medicina do trabalho, abreviadamente designado CEMT, teve o seu embrião nos bastidores do Centro de Convenções de Talatona, no intervalo de uma das sessões do Congresso da Clínica Multiperfil em Novembro de 2013, em conversa com o bastonário da Ordem dos Médicos de Angola, Professor Pinto de Sousa. 

O tema da conversa foi a pertinência da criação de uma associação de médicos do trabalho de Angola, para reunir os profissionais com especialização na área, com o objectivo de criar espaço para a discussão de temas relevantes em torno da saúde do trabalhador no país.

Na ocasião levantaram-se mais dificuldades que soluções: (1) A exiguidade do número de médicos do trabalho no país; (2) Inexistência de um colégio de medicina do trabalho na Ordem dos Médicos; (3) Dificuldades burocráticas e de legislação…

O desafio era vencer estas dificuldades, sendo a primeira delas a criação do Colégio de Medicina do Trabalho, sem o qual não fazia muito sentido partir para uma associação.

O desafio estava lançado, através do despacho nº 012/ GBORMED/13, do Bastonário da Ordem dos Médicos.

História do CEMT

A sua materialização iniciou com a primeira reunião da Comissão Instaladora do Colégio de Especialidade de Medicina do Trabalho em que participaram apenas 4 médicos. 

O núcleo tinha como missão criar condições para a institucionalização do colégio, sendo para isso necessário elaborar a documentação necessária (regulamento interno, logotipo, formulários para processos administrativos) e preparar as eleições do primeiro corpo directivo do colégio.

Após 10 (dez) reuniões que decorreram na sede da ordem dos médicos e Clínica Sagrada Esperança, o núcleo aprovou a referida documentação que foi submetida à Comissão Executiva Nacional da Ordem dos Médicos de Angola, tendo esta concluido que estavam criadas condições objectivas para a realização da Assembleia Geral para eleição do seu Conselho Directivo Nacional para o primeiro mandato de 3 anos.

As últimas tarefas da comissão instaladora foram: 

(1) A inscrição de todos os médicos do trabalho nacionais e estrangeiros em actividade no país e inscritos na Ordem dos Médicos de Angola, com actualização da documentação que confere o título de especialidade de Medicina do Trabalho e o direito de eleger e ser eleito como titular do órgão directivo do Colégio; 

(2) A marcação da data para a realização da Assembleia Geral Eleitoral, proposta para Junho/ 2015; 

(3) Convocatória geral dos médicos inscritos para a sua participação na Assembleia Geral Eleitoral e comunicada de imprensa; 

(4) Extinção da Comissão Instaladora, realização do acto eleitoral e tomada de posse dos titulares eleitos para o Conselho Directivo.

Com 11 membros convocados para o efeito, (compareceram 8), o acto eleitoral ocorreu no dia 13 de Junho/2015, no anfiteatro do Instituto de Oncologia, dirigido pela Comissão Executiva Nacional da Ordem dos Médicos de Angola, representada pela Dra. Maria Isabel Massocolo Neves. 

A lista única proposta foi eleita para o mandato de 3 anos (2015-2018) com 8 votos (100%).